28 fev Freelancer é melhor ser MEI ou Autônomo?

Freelancer é melhor ser MEI ou Autônomo?

Freelancer é melhor ser MEI ou Autônomo?

Esse artigo irá a ajudar aqueles que querem sua independência profissional, tornando-se freelancer, e não sabem qual regime é melhor, MEI ou Autônomo.

Freelancer é melhor ser MEI ou Autônomo?

Aqueles que estão em busca de maior independência profissional, horários flexíveis e conciliação da vida profissional com a pessoal, optam muitas vezes por tornar-se freelancers. Para isso, devem escolher entre ser um Microempreendedor Individual ou Autônomo.
A principal diferença entre os dois é a quantia de impostos que devem ser pagos. Levando isso em conta, MEI acaba tornando-se mais vantajoso.

Horários flexíveis, conciliação de vida pessoal e profissional, ganhar mais, são alguns dos desejos de quem escolhe trabalhar por conta própria, largando muitas vezes, o emprego com carteira assinada.

Para começar a oferecer serviços de freelancer, pode-se escolher por continuar sendo uma pessoa física, trabalhando como autônomo, ou tornar-se uma pessoa jurídica, como Microempreendedor Individual (MEI) ou empreendedor pelo regime Simples Nacional. A escolha refletirá na quantia de impostos que deverão ser pagos, tanto por parte do profissional, quanto por parte de quem contratará os serviços futuramente.

Antes de tomar essa escolha, é importante ressaltar que profissionais que trabalham por conta própria não possuem benefícios como plano de saúde, férias, 13º salário, férias remuneradas e seguro desemprego. É válido colocar na balança para saber se essas condições estão de acordo com o planejamento realizado.

Os contadores informam que ser uma pessoa jurídica pode ser melhor do que autônomo em relação à quantidade de impostos que deverão ser pagos, já que o governo deseja que novas empresas sejam abertas e diminua a informalidade do processo.

O MEI é isento de Imposto de Renda (IR), mas deve pagar uma quantia de R$ 49,00 mensais de prestação de serviços, como INSS e Imposto Sobre Serviço (ISS), o que ajuda a diminuir o valor dos serviços prestados no momento de repassar para o consumidor final. A lei possibilita que escritórios contáveis realizam inscrições do MEI gratuitamente. O profissional MEI também possui uma inscrição de Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), facilitando empréstimos bancários e emissão de nota fiscal.

Ser um freelancer autônomo tem um custo maior, visto que, desde a parte de inscrição na prefeitura da cidade de atuação gera um custo elevado. Além disso, deve-se arcar com 11% de INSS, IR e ISS de 5% todos os meses. Os serviços prestados encarecem, o que dificulta o fechamento de contratos.

Antes de abrir mão do emprego com carteira assinada, é necessário avaliar se é válido abrir mão de alguns benefícios como plano de saúde empresarial, férias remuneradas, etc.
Em relação a quantidade gasta com impostos, percebe-se que o melhor a se fazer é levar em conta os conselhos dos contadores: opte pela abertura do MEI e acabe gastando menos com recolhimentos, tento um menor custo de serviços e fechando mais clientes.

Conheça mais sobre os serviços prestados pela Reluz Contábil em relação a área trabalhista:

reluzcontabil.com.br/servicos/area-trabalhista-e-previdenciaria

Pinterest
Facebook
Google+

Nenhum comentário

Deixar um comentário